terça-feira, 18 de outubro de 2011

Record endurece com a Globo, mas atletas cobram mais visibilidade na TV

Mauricio Stycer
Em Guadalajara (México)

Na luta que trava já há alguns anos contra a Globo, a Record entende como uma das suas vitórias mais importantes a aquisição dos direitos de transmissão destes Jogos Pan-Americanos de Guadalajara e dos Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem.

A exclusividade obtida pela Record nestes dois eventos representa, de fato, a quebra num padrão que parecia estabelecido para sempre pela Globo. É uma novidade que abre muitas possibilidades, mas levanta um grande número de dúvidas.

Para a Record, é a chance de mostrar para o seu público e para o mercado publicitário que ela é uma emissora grande, capaz de transmitir eventos de grande porte com qualidade. Só isso explica a presença de mais de 270 funcionários da emissora em Guadalajara, bem mais do que seria necessário, assim como o orgulho exagerado que está exibindo em todos os seus programas.

É dentro desta lógica que pode ser entendida a postura agressiva da emissora, confrontando a Globo por usar imagens do Pan sem autorização. A Record quer ser respeitada pela concorrente, o que nunca aconteceu, e tenta pressioná-la. Exige que a Globo peça autorização para usar as imagens e as exiba junto com o seu logotipo.

O ponto fraco desta estratégia é a audiência. Com menos da metade do Ibope que sua concorrente, a emissora paulista se vê pressionada por todos os lados, em especial, os atletas e seus patrocinadores.

Todos precisam aparecer para valorizar suas marcas. Comparada à que tinham na Globo, a exposição de atletas na Record é muito menor, e diminui ainda mais quando a emissora briga com a concorrente e restringe o uso de suas imagens.

Sem se identificar, naturalmente, atletas já se queixam desta situação. “A gente fala com o patrocinador e eles dizem que sem a Globo é complicado. A gente fala com a Record para fazerem matéria com a gente e eles dizem que não tem recursos...”, disse um atleta presente em Guadalajara.
O superintendente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Marcus Vinícius Freire, resumiu muito bem esta questão em entrevista ao UOL Esporte:  “Não considero prejudicial (a exclusividade da Record). Faz parte do mercado ter mais players no negócio. Depois, temos de procurar os caminhos. Em todo problema, você arruma uma oportunidade”.

Esse problema explica a insistência da Record em frisar que não tem nada contra a exibição de imagens do Pan em outras emissoras, muito pelo contrário. Apenas quer ser creditada pelos seus direitos.

Curiosamente, ao tratar desta sua briga com a Globo no principal telejornal da casa, o “Jornal da Record”, a emissora citou a reportagem do UOL Esporte sobre o assunto, mostrando inclusive a página, mas não mencionou o nome do portal. O mesmo respeito que cobra de seus concorrentes, a Record não teve com o UOL Esporte.

4 comentários:

  1. Olá!nisso quem sai perdendo,são os atletas é ñ ah globo.
    ah record ñ tem tradição em esportes.
    olhe que eu aconpanho todos os noticiarios.
    o que vejo são criticas,de gente se queixando,da trasmição da record.
    olhe que as vezes,ah globo erra tbm.
    como por exemplo: futebol começar as 21:50 da noite.
    num pais cheio de violência,onde vc pode ser assaltado,ah qualquer hora.
    jogo de futebol começa na 4° eh termina na 5°.
    isso ai ah globo ainda peca eh muito.

    ResponderExcluir
  2. para vc ver os proprios atletas cobrando mais visibilidade de uma emissorra que só sabe copiar as coisas...

    ResponderExcluir
  3. recopia é uma piada! canalzinho quase regional, cobre miseros 77% do territorio contra 96% do SBT e 98% da Globo, e ainda quer bancar de emissora grande?? faz me rir!!

    ResponderExcluir
  4. O que a RECÓPIA está passando é apenas uma COLHEITA ruim, ou seja, plantou TUDO de ruim, agora colhe o que tem de PIOR... Sem falar que é uma emissora MAL vista e várias esferas, no mercado publicitário, no meio televisivo e principalmente no campo da Justiça, onde o Ministério Público vem fazendo de tudo para enquadrar toda essa Quadrilha UNIVERSAL nos crimes de lavagem de dinheiro... Eu sinceramente falando, jamais ia querer ver a minha MARCA associada a uma empresa que tem o pilantra-bispo Pedir Maiscedo como chefe, dono, ou sei lá o que...
    Quem torce como IDIOTA pela RECORD é gente desinformada, tosca de conhecimentos e puxa-saco de gente corrupta...
    Até para torcer é preciso ter um mínimo de BOM senso, TORCER pelo SBT é algo lógico e sensato, a final, esta emissora pode ter seus programas e sua qualidade questionadas, mas pelo menos o Grupo SS não é tido ou visto como algo NEFASTO para o país ou que usa a FÉ de pessoas simples para se enriquecer. O que fica dessa gente que torce pela RECORD é que trata-se de um monte bobos-úteis que ficam defendendo um BANDIDO que quer ficar RICO, sem se quer fazerem parte da quadrilha, pior, promovem os caras, mas na hora da partilha do BUTIM, ficam de fora.... São o que? Otários mesmo!

    ResponderExcluir

Olá! Seja muito bem-vindo, nós já sabíamos, que você iria registrar seu comentário nesta informação. Para interagir é fácil. Redija seu comentário, em seguida marque uma das opções da caixa comentar como. Coloque seus dados eletrônicos, mas atenção nada de caracteres especiais (@, _ etc). Ok. Preencha os caracteres de verificação de pessoas reais, e aguarde nossa apuração.

Sua opinião é muito importante para a construção da sabedoria humana.

Atenciosamente - Editores Audiência de TV