Header Ads

SBT avaliou mal Record e "caminhão de dinheiro" da Igreja Universal, diz ex-presidente

Luiz Sebastião Sandoval presidiu o Grupo Silvio Santos por 28 anos. Sabia? Você não está sozinho se nunca ouvir falar ou se não conhece a cara do executivo. Poucos conglomerados de empresas são tão associados à figura do dono como este, criado por Silvio Santos.
Em “Aprendi Fazendo” (Geração Editorial, 224 págs., R$ 29,90), recém-lançado, Sandoval se esforça para deixar registrado no papel a sua contribuição ao grupo.
O executivo deixou a empresa no ano passado, dois meses depois da quebra do banco PanAmericano. Segundo seu relato, por se recusar a colocar em prática uma série de cortes de despesas decididos pelo patrão.
Ao final do livro, Sandoval reproduz um bilhete assinado por Senor Abravanel, que o elogia como “brilhante e eficiente” e classifica a quebra do banco como “inexplicável”.
Muito contido, o executivo faz poucas revelações ou mesmo avaliações mais incisivas. Uma rara passagem polêmica do livro diz respeito à perda da vice-liderança, posição que o SBT orgulhava manter, para a Record, em 2009.
“A administração da empresa não avaliou adequadamente o crescimento da Rede Record, impulsionado pelo ‘caminhão’ de dinheiro da Igreja Universal do Reino de Deus”, escreve.
Qual é a conclusão que Sandoval tira desse episódio? “Para a administração, as forças que exercem maior influência sobre as organizações vêm de fora delas, não de dentro”. Só isso?
A Record, que pertencia a Silvio Santos e à família Machado de Carvalho, foi vendida a Edir Macedo, via intermediários, em 1989. O executivo não acrescenta nenhuma informação já conhecida sobre este negócio, mas conta uma boa história sobre algo que aconteceu antes.
Quando a emissora foi colocada à venda, vários candidatos apareceram. Sandoval relata que o negócio foi praticamente fechado com Nascimento Brito, então proprietário do “Jornal do Brasil”, e João Havelange. Um cheque no valor equivalente a US$ 1 milhão foi pago como sinal.
Ao se reunirem com Silvio Santos, Nascimento Brito e Havelange ouviram dele próprio que estavam fazendo um mau negócio pois a emissora estava na iminência de quebrar. “Os compradores ficaram perplexos diante do Silvio, que continuava a convencê-los a desistir do negócio. Com o cheque em mãos, ele propôs rasgá-lo e pôr fim no negócio”.
As novidades de “Aprendi Fazendo” se encerram aí. É um livro decepcionante vindo de alguém que esteve tão próximo, e por tanto tempo, de um dos principais protagonistas da televisão no Brasil.
Para o administrador de empresas, as dicas e leituras sugeridas pelo ex-presidente do Grupo SS são banais. Para o historiador ou para o fã de Silvio Santos, as memórias do executivo acrescentam pouco ao que já se sabe sobre o “Homem do Baú”.

2 comentários:

  1. nossa adorava o ADTV mais ultimamente vc entra e esta tudo desatualizado fica o mesmo post por até 3 dias nossa ja foi melhor e mais agil estou indo para o blog tudo em 1 e para o audiencia da tv aberta fui...

    ResponderExcluir
  2. haja Dinheiro...Aff

    Adestramento de Seres Humanos, para a Contribuição com Grana , E as Sessões de exorcismo,Banho de Arruda,Vale do Sal, OS Encalhados(as), Reunião dos empresarios, Um partido Politico e em Contrapartida, Investimento da Igreja na Rede Record, principal Produto: A FAZENDA, AFF

    ResponderExcluir

Olá! Seja muito bem-vindo, nós já sabíamos, que você iria registrar seu comentário nesta informação. Para interagir é fácil. Redija seu comentário, em seguida marque uma das opções da caixa comentar como. Coloque seus dados eletrônicos, mas atenção nada de caracteres especiais (@, _ etc). Ok. Preencha os caracteres de verificação de pessoas reais, e aguarde nossa apuração.

Sua opinião é muito importante para a construção da sabedoria humana.

Atenciosamente - Editores Audiência de TV

Tecnologia do Blogger.