quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Janaína Melo é a vencedora do reality; final teve gafe geográfica de Dória Jr.

Após passar por 15 tarefas e enfrentar Renata Tolentino na última sala de reunião, Janaína Melo foi anunciada vencedora de "O Aprendiz 8" na final ao vivo do programa realizada nesta terça-feira (20). Como prêmio, ela receberá R$ 1,5 milhão, um carro 0 KM e um quadro assinado por Romero Britto no valor de U$ 50 mil.
"Estou muito feliz, sobretudo porque sou uma representante negra", disse Janaína ao UOL. "Quero que minha vitória mostre que as negras tem que ter sonhos, não de ser dançarinas mas de serem advogadas, médicas, empreendedoras". Ao receber a notícia de que era a vencedora, ela abraçou e carregou por um momento o apresentador João Dória Jr., que se mostrou desconcertado. Janaína também afirmou que tem a cara do Brasil e do público que assiste "O Aprendiz".


"Gosto das coisas bem feitas mas gosto das coisas feitas de coração", disse Dória Jr. sobre a experiência apresentando "O Aprendiz". Porém, ele afirmou que seu contrato com a Record acaba no dia 31 e ainda não sabe se o programa terá uma nova edição no ano que vem, apesar de a direção artística da emissora se mostrar disposta a tal.
A decisão do apresentador corroborou a opinião dos conselheiros Carla Pernambuco e Cláudio Forner. “Vejo na Janaína uma capacidade de correção em tempo real”, elogiou Cláudio. Carla justificou sua escolha baseada na história de vida da finalista. “A Renata é uma candidata completíssima, mas o meu voto vai para Janaína porque é uma lutadora”.

Logo no início da transmissão ao vivo da final do reality show, João Dória Jr. cometeu uma gafe geográfica. Ao apresentar a avó da finalista Janaína de Melo, Dória Jr. perguntou onde ela havia nascido e em qual cidade ela vivia. Ao ouvir da convidada que ela vinha de Macapá, ele perguntou de que cidade. E a parente da concorrente explicou ao condutor do programa que Macapá era a capital do Amapá.
O artista Romero Britto, que foi convidado na exibição ao vivo do programa, revelou ter criado a obra especialmente para "O Aprendiz". "Eu acho que vale mais dar uma obra de arte do que um carro", disse. Ele se inspirou nos sonhos para fazer o quadro, com a justificativa de que "os empreendedores são grandes sonhadores".

Prova
Na última tarefa de "O Aprendiz 8", a Renata e Janaína viajaram para os Estados Unidos para trabalhar divulgando uma marca de computadores. “Terei um grande empecilho porque não falo inglês fluente”, admitiu Renata.
Um sorteio definiu que Bryan Yoneda ajudaria Renata e Maria Fernanda de Lima seria a dupla de Janaína. Eles montaram um estande para atrair o maior público possível para conhecer a marca.
Bryan reclamou da falta de habilidade de Renata com o inglês, dizendo que não conseguia se concentrar porque tinha que ajudá-la com a língua, mesmo após chamarem um profissional bilíngue para ajudar. "Me acho um telefonista, um tradutor", desabafou. A primeira ação da dupla, porém, foi bem sucedida. Na tarefa final, eles foram criticados por não instigarem o público a fazer nada - para participar do sorteio promovido pela dupla, bastava ir ao estande.

Já Maria Fernanda e Janaína foram prejudicadas após a Universidade de Columbia, onde fariam primeira a ação, ter cancelado em cima da hora. Na ação final, elas convidaram uma artista que fazia pinturas ao vivo, e convidavam o público a pintar também. Elas exploravam a ideia de que os computadores eram para "gente que faz". Porém, elas foram criticadas por não usarem a identidade visual da marca.

Sala de reunião
A última sala de reunião do programa foi realizada ao vivo no auditório do Memorial da América Latina, com 1600 pessoas presentes. Bryan não foi elogioso à performance de Renata, deixando claro que sua falta de habilidade com o inglês atrapalhou. Já Maria Fernanda não fez críticas ao desempenho de Janaína.
Esta admitiu que faltou maior pesquisa do local da primeira ação, e concordou que seu ponto fraco é o planejamento. Cláudio Forner disse que a questão financeira na tarefa de Janaína deixou a desejar. Renata disse que seu ponto forte é o controle emocional e o trabalho em equipe, e que seu “trabalho a desenvolver" é a organização. Ela justificou sua falta de fluência no inglês dizendo que teve que priorizar outros cursos extra-curriculares em seu plano de carreira.

Perguntadas por Dória Jr. como elas encaram a derrota, ambas concordaram que é algo do qual se deve aprender. “A derrota ensina. Ninguém chega ao êxito sem ter enfrentado a derrota”, filosofou o apresentador.

0 CLIQUE AQUI E COMENTE !:

Postar um comentário

Olá! Seja muito bem-vindo, nós já sabíamos, que você iria registrar seu comentário nesta informação. Para interagir é fácil. Redija seu comentário, em seguida marque uma das opções da caixa comentar como. Coloque seus dados eletrônicos, mas atenção nada de caracteres especiais (@, _ etc). Ok. Preencha os caracteres de verificação de pessoas reais, e aguarde nossa apuração.

Sua opinião é muito importante para a construção da sabedoria humana.

Atenciosamente - Editores Audiência de TV