segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

A diferença entre um âncora e um leitor de notícias

Mauricio Stycer

A figura do “âncora” de telejornal é motivo de alguma confusão no Brasil. Qual é exatamente o seu papel? Neila Medeiros apresenta o jornal “SBT Brasília”. Um exemplo do tipo de intervenção que um âncora pode fazer foi visto recentemente e se transformou em hit na internet. Ocorreu após o noticiário que ela apresenta exibir o típico blablablá de um homem público diante do microfone.

Pressionado por uma repórter do SBT, o secretário de Obras de Luiziânia se enrolou todo ao explicar o fiasco nas obras de prevenção a enchentes da cidade. “Criticar é fácil, agora fazer as coisas no período de chuvas é difícil”, ele disse. Um dos culpados, acrescentou o secretário, é a imprensa. “Ao invés de ajudar, ela não deixa a gente trabalhar. Eu tô desde ontem só no telefone e dando entrevista (…) e isso aí atrapalha o serviço da gente”.

Ao fim do VT, Neila não consegue esconder sua revolta e desabafa ao vivo: “Gente, me desculpa, mas dizer que a imprensa atrapalha? Esse buraco onde caiu o caminhão, que vocês viram na matéria, foi anunciado por nós. (…) Não fizeram por culpa da imprensa? Como assim?” E disse ainda: “Por que não fez na época da estiagem? Já ouviu falar em prevenção?”

Para quem só vê os noticiários da Rede Globo, a intervenção da âncora do “SBT Brasília” chega a ser chocante. Orientados a parecer mais “humanos”, os principais apresentadores da emissora carioca estão tentando fugir do figurino engessado de outros tempos, mas as suas intervenções são de outro tipo. Eles têm chamado mais atenção pelas gracinhas que protagonizam do que por suas opiniões.

Chico Pinheiro, fã de samba e futebol, assumiu o lugar de Renato Machado, especialista em vinhos, no comando “Bom Dia Brasil”, e passou o final do ano lamentando o desempenho das equipes mineiras no Brasileirão. Cesar Tralli, agora no comando do “SP TV”, foi ao camarim de Zezé di Camargo e Luciano falar sobre as botas novas dos cantores e chamou o mais novo de “Lu”.

Sandra Annemberg, no “Hoje”, transformou uma gafe (“Que deselegante!”) em bordão. Seu companheiro, Evaristo Costa, fez sucesso com uma piada de criança (“gosta de mamão, Sandra?)”. Já William Bonner e sua companheira de bancada, primeiro Fátima Bernardes, depois Patrícia Poeta, se especializaram em ler notícias trocando olhares.

Diferentemente da âncora do SBT, todos estes jornalistas dão a impressão de não ter o direito de dizer o que pensam enquanto apresentam seus telejornais. São chamados de “âncoras”, mas na prática são simpáticos e, agora, divertidos leitores de notícias.

Bonner, Sandra, Evaristo & Cia podem fazer gracinhas ao vivo, mas evitam (ou são impedidos de) opinar, elogiar, manifestar indignação com o noticiário ou se posicionar diante de fatos que merecem mais do que um relato básico. Faz muita diferença, como você pode ver abaixo, na intervenção da âncora do SBT. É só um buraco de rua e um secretário sem noção, mas faz toda a diferença:

3 comentários:

  1. Um âncora não deve opinar sobre quaisquer matérias que sejam feitas. É assim que ensinam na faculdade e em qualquer lugar, uma vez que tomar partido não é função de um jornal. A função do jornal é somente informar. As conclusões e o papel de crítico deve vir de cada um. Se um reportér global tivesse dito algo do tipo, provavelmente iriam acusar a Globo de produzir jornalismo imparcial. Iriam dizer que a Globo é contra o político ou o partido que disse tal coisa. É por isso, que existem os artigos de opinião em revistas e especialistas ou cronistas (Arnaldo Jabor) que dão sua opinião sobre determinados assuntos em um jornal, mas eu acredito que o âncora, da mesma forma que não deve se envolver com publicidade, deve-se manter totalmente imparcial.

    ResponderExcluir
  2. Olá. Realmente o telejornais da Globo principalmente estão horríveis. É irritante ver a troca de olhares entre os apresentadores do Jornal Nacional. Não podem simplesmente focar em um apresentador e ele informar a notícia? Quanto ao Jornal Hoje, sem comentários, é um jornal pra dona de casa. Infelizmente a globo se esqueceu que nem só dessa nova classe C é que é formado seus telespectadores.

    ResponderExcluir
  3. como assim nao foi o JN que gahou o emmy?? Parece que só para quem escreveu esse texto o jornalista deve dar opinião, jornalismo tem alguma coisa com imparcialidade

    ResponderExcluir

Olá! Seja muito bem-vindo, nós já sabíamos, que você iria registrar seu comentário nesta informação. Para interagir é fácil. Redija seu comentário, em seguida marque uma das opções da caixa comentar como. Coloque seus dados eletrônicos, mas atenção nada de caracteres especiais (@, _ etc). Ok. Preencha os caracteres de verificação de pessoas reais, e aguarde nossa apuração.

Sua opinião é muito importante para a construção da sabedoria humana.

Atenciosamente - Editores Audiência de TV