Header Ads

Para advogados, só haverá estupro no BBB 12 se participante registrar queixa na delegacia

Especialistas dizem que caso só poderá ser investigado se estudante fizer denúncia formal

Mesmo com toda a polêmica gerada pelas imagens de um suposto estupro no Big Brother Brasil (Globo), advogados dizem que só existe crime se a vítima – no caso a gaúcha Monique, de 23 anos – afirmar que houve sexo sem o seu consentimento.

A polêmica envolvendo a participante ganhou força após divulgação de imagens em que ela aparece “desacordada” em cenas de intimidade com o modelo Daniel. No vídeo, o rapaz é flagrado fazendo movimentos suspeitos debaixo do edredom com a estudante de administração, que aparentava estar inconsciente.

O fato aconteceu depois de uma festa na madrugada de domingo (15).

De acordo com Fabíola Marques, presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), o fato só pode ser levado à Justiça se Monique acusar o colega, o que ainda não aconteceu, de estupro.

Provas e evidências não são importantes se não houver uma acusação formal por parte dela.

- Ela tem de acusá-lo. Mesmo que todo mundo tenha visto, só será considerado estupro se a vítima confirmar que houve uso da força ou relação sem sua vontade. É fundamental que faça a denúncia. Estupro é crime privado, não público.

Ainda segundo Fabíola, a família não tem poder para iniciar um inquérito. Como é maior de idade, apenas Monique poderia registrar queixa na delegacia. Romualdo Calvo Filho, advogado criminalista e presidente da Academia Paulista de Direito Criminal, ressalta que mesmo confinada, nada a impede de apresentar a queixa.

Ele afirma ainda que desde 2009, quando houve mudanças na lei, não é preciso ter penetração para que haja estupro. Uma passada de mão nos seios ou na região dos glúteos sem consentimento já pode ser considerado crime.

- Ela não precisa sair do programa. Se fizer uma procuração constituindo um advogado, ele mesmo pode ir ao DP mais próximo e pedir instauração de inquérito.

Na internet, a história foi parar no topo dos assuntos mais comentados no microblog Twitter. Indignadas, as pessoas pediam a expulsão do modelo. Para muitos, o caso merece ser investigado. Alguns, inclusive, levantam outras questões, como a possibilidade de uma gravidez, por exemplo.

Monique, que havia bebido antes do acontecimento, já declarou que não se lembra exatamente o que aconteceu. Se sair do programa, assistir às imagens e quiser acusar o colegas, advogados dizem que dará tempo. De acordo com Filho, ela terá até seis meses para fazê-lo.

Créditos - Portal R7.

- Se não fizer enquanto estiver no programa, pode fazê-lo depois. Ela terá até 14 de julho para acusá-lo.

Boninho, diretor do programa, disse que conversou com a participante e ela negou que houve sexo. Por isso, ele descarta a expulsão do participante e diz que tudo foi consensual. Mesmo assim, para os especialistas, as imagens podem ajudar caso a participante mude de ideia e resolva prestar queixa contra fora do reality show.

2 comentários:

  1. SOBRE NO ESTUPRO EU ACHO QUE ELA DE CERTA FORMA DEU TOTAL LIBERDADE PARA ELE FAZER O QUE FEZ, POIS TEVE CARÍCIAS ANTES DE TUDO... ELA QUER TIRAR PROVEITO DA SITUAÇÃO.

    GILVAN TEOFILO. TERESINA
    PIAUÍ

    ResponderExcluir
  2. Pelo amor de Deus, que advogados são esses? O crime é de ação pública!

    ResponderExcluir

Olá! Seja muito bem-vindo, nós já sabíamos, que você iria registrar seu comentário nesta informação. Para interagir é fácil. Redija seu comentário, em seguida marque uma das opções da caixa comentar como. Coloque seus dados eletrônicos, mas atenção nada de caracteres especiais (@, _ etc). Ok. Preencha os caracteres de verificação de pessoas reais, e aguarde nossa apuração.

Sua opinião é muito importante para a construção da sabedoria humana.

Atenciosamente - Editores Audiência de TV

Tecnologia do Blogger.